Onde viviam os refugiados?

Regina DiasNão categorizadoLeave a Comment

Quem são os refugiados

Refugiados, de acordo com a ACNUR (Agência da ONU para Refugiados), são pessoas que foram obrigadas a deixar seus países de origem em virtude de “fundados temores de perseguição relacionados a questões de raça, religião, nacionalidade, pertencimento a um determinado grupo social ou opinião política, bem como devido a “grave violação de direitos humanos e conflitos armados”.

Os refugiados no mundo

Existem cerca de 25,9 milhões de refugiados no mundo. Mais da metade destes (cerca de 57%) vêm principalmente de três países: 6,7 milhões da Síria, 2,7 milhões do Afeganistão, 2,3 milhões do Sudão do Sul. Apenas para se ter uma ideia da magnitude, 37 mil pessoas são forçadas a fugir de suas casas em decorrência de conflitos ou perseguições – algumas delas ficam deslocadas internamente, mas outras buscam refúgio em outros países – sendo assim o número de refugiados aumenta diariamente.

A grande maioria destas pessoas (80%) busca refúgio em países vizinhos aos países de origem. Dos países que mais acolhem os refugiados, tem-se a Turquia com 3,7 milhões, Paquistão com 1,4 milhão, Uganda com 1,2 milhão, Sudão e Alemanha com 1,1 milhão cada.

Dos refugiados recebidos pela Turquia, a grande maioria vem da Síria, mas também há um bom número de refugiados do Iraque. Por causa das crises na África subsaariana, mais pessoas acabam sendo forçadas a fugir para países vizinhos, o que faz com que a Turquia continue a receber um número ainda maior de refugiados, em especial do Sudão do Sul, Somália, Sudão, República Democrática do Congo, República Centro-Africana, Eritréia e Burundi. Já no Paquistão, a maioria dos refugiados vieram principalmente do Afeganistão. 

Os refugiados no Brasil

Os últimos dados do CONARE (Comitê Nacional para os Refugiados) apontam que até dezembro de 2018 haviam mais de 11 mil pessoas refugiadas reconhecidas no Brasil. Deste total, 6.554 ainda mantém condição de refugiados, sendo 36% da Síria, 15% da República Democrática do Congo, 9% da Angola, 7% da Colômbia, 3% da Venezuela, 2% do Iraque, Bolívia, Palestina e Mali cada, e demais países 19%.

Analisando os dados exclusivos do ano de 2018, nosso país recebeu mais de 80 mil solicitações de reconhecimento da condição de refugiado, sendo 61,6 mil (77%) da Venezuela, 7 mil do Haiti, 2,7 mil de Cuba, 1,4 mil da China, e outros refugiados de Bangladesh, Angola, Senegal, Síria, Índia, entre outros países.

E quanto a nós?

Mesmo abrigados em outro país, os refugiados enfrentam muitos desafios, como escassez de recursos, desafios de adaptação a nova cultura, preconceitos da população do país que os acolhe, familiares que ficaram no país de origem, entre outros desafios. Oremos pelos refugiados, mas também pelos países que estão em guerras, sejam políticas, religiosas ou outras, causando assim divisões e perseguições ao seu próprio povo. Que o príncipe da paz Jesus Cristo reine nessas nações e em cada coração envolvido nesses tumultos. Amém!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *