RECRIAR-LOGO-nDc

A Jordânia é considerada o país que mais recebe refugiados no mundo segundo relatório publicado em dezembro de 2016 pela Anistia Internacional. São aproximadamente 2,7 milhões de pessoas que fugiram de diferentes países da região e vieram em muitos casos, sem nada para o país. Desse total, cerca de dois milhões são muçulmanos sírios que escaparam da guerra que aflige seu país há mais de seis anos.

O governo não permite a construção de campos além dos que são atualmente controlados pela ONU. Dos 2,7 milhões de refugiados, apenas 300 mil vivem nos cinco grandes campos de refugiados do país. Dentre eles está o de Zaatari, que é o segundo maior do mundo. Como a grande maioria mora em regiões dominadas por diferentes povos étnicos, quase sempre as famílias tem apenas condições de pagar o aluguel de casas, apartamentos, cortiços, garagens ou quaisquer espaços que encontrem de acordo com a condição que possuem.

O casal de missionários do Nação da Cruz, Ismael e Fany, trabalham num vilarejo perto da capital Amã, voltado para os refugiados iraquianos cristãos. Ele é cercado por outros vilarejos, mas que são utilizados por refugiados sírios muçulmanos. Existem muitas necessidades e cremos que podemos atuar buscando atender-las de acordo com nossas habilidades e dons.

Na cultura jordaniana é comum o descarte de móveis de madeira: sofás, armários, mesas e cadeiras, quando se compram itens novos ou se muda de casa. Com facilidade encontramos nas ruas, móveis que podem ser restaurados.

O princípio do projeto RECREATE é reformar esses móveis abandonados para serem reutilizados. O foco quando falamos dos móveis e dos refugiados é mostrar que é possível criar vida novamente naquilo que foi destruido ou jogado fora.

Com essa ideia, queremos trazer bem estar ao refugiado por meio do ganho de renda, pois o governo proíbe que eles trabalhem, restando apenas viver de doações.

O refugiado poderá ter uma renda da seguinte forma: A cada 3 móveis recriados, 2 serão doados para os refugiados mais necessitados e um será vendido em um brechó. O brechó é muito comum e de rápido comércio na Jordânia. Com isso, além de conseguir pagar o trabalhador refugiado, o projeto conseguirá se manter.

O espaço para essa mini-fabriqueta já está disponível no Centro Comunitário MAIS, dirigido pelo parceiro Família Aziz.

Em uma segunda fase, a ideia é transformar a mini-fabriqueta em uma pequena escola de marcenaria e começar a ensinar os refugiados a trabalharem na reforma e criação de móveis para que quando tiverem a chance de imigrar já possuírem novas habilidades profissionais para se posicionarem no mercado.

Responsável pelo Recreate Jordânia: Ismael e Fany / email: recreatejord@nacaodacruz.com ou Suspiroefanybella@gmail.com

CONTRIBUA