O que são os conflitos religiosos?
22 de novembro de 2018
Exibir tudo

Ação dos direitos humanos nos países muçulmanos

Frequentemente alvo de conflitos, via de regra, religiosos, os países muçulmanos acabam, muitas vezes, colocados em “cheque” quando se trata de direitos humanos.

Afinal, durante ataques bélicos e bombardeios em geral, e repressão e caça aqueles que professam outra religião, que não a dos muçulmanos, onde fica a liberdade de escolha, a justiça, e muitas vezes, até mesmo o direito à vida?

Seja no norte africano, oriente médio, sudoeste e sul asiático, fato é que a realidade encontrada nos países muçulmanos situados nestas localidades revelam para nós, uma triste realidade, bem longe do que prezam os direitos humanos.

Mas, você sabe exatamente o que são os direitos humanos? Conhece algum tipo de ação dos direitos humanos nos países muçulmanos? Sabe como alguns projetos e iniciativas neste sentido, podem ajudar pessoas vítimas de conflitos religiosos e refugiadas?

É sobre isso que falaremos a seguir, acompanhe!

O mundo muçulmano e os direitos humanos

A Declaração dos Direitos Humanos foi proclamada pela ONU (Organização das Nações Unidas) em 1948. Nela, estabeleceu-se em 30 artigos, aqueles considerados os direitos fundamentais a serem universalmente protegidos.

Direitos  que foram destinados a promoverem “respeito universal e observância dos direitos humanos e liberdades fundamentais”.

Quando nos deparamos frente ao sofrimento humano, seja ele relacionado aos preconceitos e desigualdades, que tanto atormentam a raça humana, desde os tempos mais primórdios,  temos a plena convicção de que a temática dos direitos humanos é especialmente pertinente e importante para toda a humanidade.

As liberdades comuns que devem permear a vida de todas as pessoas, foram objetos históricos de documentos importantes para a humanidade, tais como a Declaração Francesa dos Direitos do Homem ,a  Carta Magna, a Declaração Americana de Direitos e a Convenção de Genebra, por exemplo.

Fato é que no contexto muçulmano, os direitos humanos são vistos como uma Ordem Divina, onde eles são decorrentes de dois princípios básicos: dignidade e igualdade.

Mesmo a liberdade de crença, que permite diversidade religiosa, é permitida, de acordo com o preceitos do islã, porém, na prática, muitas vezes o que vemos é que isso não é respeitado.

Mais do que isso, diversos abusos aos direitos humanos estão sendo perpetrados, muitos deles usando o próprio islã como justificativa.

Em meio ao caos da guerra e dos conflitos religiosos que ocorrem nos países muçulmanos, encontramos ações e atitudes capazes de comover e renovar a fé e esperança, seja na vida das pessoas atingidas, seja no poder da humanidade em trazer à tona, o seu lado verdadeiramente humano.

São ações dos direitos humanos, como as realizadas pelo ministério Nação da Cruz e uma infinidade de voluntários, por exemplo.

Visando prestar atendimento às pessoas vítimas de violações de suas liberdades e direitos, temos uma série de projetos que visam promover o acolhimento destas pessoas.

Ações sobretudo de suporte aos cristãos perseguidos, bem como aos refugiados, independentemente  da religião.

O envio de missionários com conhecimento acadêmico em diferentes áreas do conhecimento, como psicologia, saúde, etc., é uma das frentes adotadas pelo ministério Nação da Cruz neste sentido.

A atuação na Jordânia, também merece destaque como uma ação de direitos humanos, haja vista que lá se concentra boa parte dos refugiados do mundo.

Encorajar e acolher, disseminar a palavra de Cristo, e projetos com foco no bem-estar e saúde, como o Listen Again, que visa reabilitar e readaptar as pessoas com danos auditivos originários dos conflitos religiosos, também estão dentre as ações apoiadas pelo ministério Nação da Cruz.

Toda a ajuda é importante, no sentido de amenizar o sofrimento alheio e evolver o mínimo que seja, de dignidade e esperança para quem tanto precisa de um gesto de nossa parte.

E você, já pensou em fazer a diferença na vida dessas pessoas? Junte-se a nós, entre em contato e veja como pode nos ajudar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *